Informe o código do produto ou pesquise pelo nome

POR: Casa e Jardim

Antes de comprar a tinta, confira os tipos de acabamentos e cores de acordo com os ambientes e efeitos desejados (Foto: Thinkstock)

Escolher a tinta para pintar a sua casa pode gerar dúvidas. Diante de tantas opções no mercado, como saber qual a mais indicada para a sua tarefa? Conversamos com especialistas para mostrar tudo o que você precisa saber para fazer a melhor escolha.

O mais importante é certificar-se sobre qual o tipo de superfície e o estado de conservação dela para definir a tinta que será usada. "Na cozinha, por exemplo, devemos escolher uma tinta mais resistente e de fácil lavagem", conta a arquiteta Fernanda Angelo do Estúdio Cipó. Já a área externa deve receber aquelas específicas como a versão com textura, a cal e a emborrachada para garantir o melhor resultado no projeto.

É preciso prestar atenção também nas cores escolhidas, já que essas influenciam os acabamentos. Ao optar por uma tinta de tom mais forte como o vermelho, por exemplo, não é aconselhado um acabamento brilhante pois, além de aparecer os defeitos da superfície, a cor forte sobressai no ambiente e traz um ar artificial.

Além disso, é necessário levar em consideração a quantidade de demãos do produto. “Quanto mais saturado o pigmento, mais difícil de recobrir a cor é, quanto mais densa a tinta, mais aderente”, diz o arquiteto Gustavo Calazans. Também é válido pensar na funcionalidade do acabamento, da cor e da tinta, segundo o especialista.

Antes de escolher que tipo de tinta você precisa comprar, o ideal é analisar a superfície, a funcionalidade e a estética desejada. O balanceamento desses itens resulta na escolha do produto perfeito para você. (Foto: Thinkstock)

Tinta acrílica
A tinta acrílica é feita à base de água e tem secagem rápida. Sua utilização é ideal para paredes de alvenaria em ambientes internos e externos e também materiais mais porosos. Com as opções existentes, é possível finalizar a pintura e voltar para a casa no mesmo dia. É também uma das melhores opções para fachadas.

Por ser de fácil lavagem e impermeável, a maior preocupação com a acrílica está relacionada com a hora da aplicação. “Sempre indico verificar se as paredes estão devidamente impermeabilizadas para não correr o risco criar bolhas durante a secagem da tinta”, conta Fernanda.

A vantagem de ser impermeabilizante é a limpeza, perfeita para ambientes comerciais e casas com crianças ou com grande fluxo de pessoas. Para lavar a tinta acrílica é muito fácil: basta usar um pano úmido ou uma esponja.

Tinta esmalte
A tinta esmalte é feita com base de óleo. Ela é ideal para uso em madeira, portas, rodapés e em metais como corrimão, mobiliários, pés de mesa, etc... Tradicionalmente, é uma tinta mais resistente, com mais aderência e com secagem demorada.

Tinta látex
A tinta látex não é indicada para ambientes externos. Com acabamento fosco, tem uma secagem rápida pois é a base de água, apresenta pouco odor e é resistente ao mofo.

Segundo Gustavo, a látex é ideal para aplicar em superfícies com gesso ou lugares que recebem pouco contato como forros. Porém, o profissional não recomenda a utilização em portas de passagem, por exemplo, já que a pintura mancha com mais facilidade.

Tinta epóxi
Produzida a partir de resina plástica, a tinta epóxi tem alta resistência ao atrito. Ela é recomendada para locais com muito uso e desgaste tais como garagem, hospitais, quadras esportivas e escolas. A tinta também pode ser aplicada em madeira, alvenaria, metais, pisos e azulejos.

Segundo Fernanda, essa também é uma alternativa para quem quer restaurar um ambiente e tem pouca verba. “Ao invés de trocar um piso ou um azulejo, é possível pintar da cor desejada e dar um ar diferente ao local”, afirma.

Tinta ecológica
A tinta ecológica foi desenvolvida para reduzir o impacto ao meio ambiente. Os revestimentos de algumas marcas, por exemplo, são desenvolvido com pigmentos de terras de diferentes regiões do solo brasileiro. A extração da matéria-prima é feita a partir de jazidas legalizadas e na transformação do produto final não há emissões tóxicas. O resíduo produzido não polui e completa seu ciclo de vida retornando à terra em curto prazo.

Já outras, apostam na sustentabilidade ao utilizar como matéria-prima 85% de materiais reciclados e renováveis e com base água. Propondo uma estética durável, aderência, flexibilidade, resistência a luz e ao desbotamento.

“Quanto mais saturado o pigmento, mais difícil de recobrir a cor e quanto mais densa a tinta, mais aderente”, diz o arquiteto Gustavo Calazans. (Foto: ThinkStock)

Acabamento fosco
A tinta fosca é ideal para ambientes mais discretos, pois não aparece tanto o brilho. Assim, sua escolha depende de cada ambiente em que ela será aplicada. Ela é perfeita para paredes com imperfeições pois ajuda a esconder seus defeitos, diferentemente da tinta com brilho, que os realça. "O acabamento fosco, por não refletir, dá a ideia de solidez ao material", afirma Gustavo.

Acabamento brilho
Por sua vez, a tinta brilho realça a textura da parede e dispensa acabamento. A vantagem é a facilidade de limpeza e a prevenção da umidade.

Textura
A textura é um tipo de tinta para quem deseja criar diferentes formas e acabamentos para o ambiente. Para isso, existe uma cartela de desenhos a serem aplicados. Ela é de alta durabilidade e protege a alvenaria da umidade. É recomendada para áreas externas da casa, mas também vai bem em quartos, salas e corredores.